Tech

iPhone em Perigo! Google encontra brecha que era explorada a anos

Pesquisadores de segurança do Google encontraram brecha de segurança em iPhone que permitiu invasões por pelo menos dois anos.

falhas de seguranca iphone

Diversos pesquisadores de segurança do Google descobriram fortes evidências de que aparelhos iPhone foram invadidos por um período de pelo menos dois anos. Segundo eles houve um “esforço” de hackers para invadir os aparelhos.

O Google informou que os ataques eram realizados através de sites, que implantaram discretamente softwares maliciosos que eram capazes de obter informações relacionadas à contatos, imagens e outros dados pessoais. Esses sites “armadilha” foram acessados por milhares de usuários do mundo todo.

A Apple não negou o caso mas também não deu nenhum detalhe.

Vulnerabilidade em detalhe

Houveram diversas postagens técnicas escritas pelo especialista britânico em segurança cibernética, Ian Beer. Ele faz parte de uma força-tarefa do Google conhecida como Project Zero, que é responsável por encontrar vulnerabilidades de segurança.

Durante os artigos ele deixou bem claro que apesar do projeto ser do Google, não houve discriminação por ser aparelhos Apple. A falha na segurança foi identificada porque o simples fato de visitar o site “armadilha” já era o suficiente para o servidor atacar o aparelho e se fosse identificada a brecha, o software de monitoramento era instalado.

Ian Beer e sua equipe conseguiram descobrir 12 falhas de segurança diferentes, que eram usadas para comprometer todos os aparelhos e sistemas operacionais. A grande maioria destas falhas estavam no Safari, que é navegador padrão dos smartphones Apple.

Novo drone de entrega da Amazon voará de forma autônoma.

Entenda o caso

Uma vez que o software era instalado no iPhone da pessoa, o aparelho ficava “aberto” para que o hacker tivesse acesso a uma grande quantidade de dados como contato, imagens, dados de localização de GPS e outros.

As informações eram retransmitidas para um servidor externo a cada 60 segundos.

A invasão conseguia também coletar dados de aplicativos como o Instagram, WhatsApp e Telegram. Entre os aplicativos avaliados, estão também os produtos do Google, como o Hangouts e o Gmail.

Os hackers exploraram as falhas de praticamente todas as versões do iOS 10 ao iOS 12. Houve um esforço contínuo para invadir iPhones por comunidades hackers durante um período de pelo menos dois anos.

Correção do problema

Apesar do alarde, já houve uma correção das falhas na última atualização de fevereiro. Porém é preciso que o usuário de iPhone tenha feito instalação da versão mais recente do iOS, para garantir imunidade neste caso.

Para verificar se você está utilizando a versão mais recente do software, vá em configurações > geral. Clique em atualização de software e verifique se o seu aparelho está executando o sistema operacional iOS 12.4.1.

Se não estiver atualizado, faça-o imediatamente.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top