Notícias

Vítimas de abuso sexual por médico do Ceará foram filmadas nos últimos 30 anos

Médico acusado de abusar de suas pacientes foi preso e começa a revelar detalhes

jose hilson de paiva

Em um depoimento do médico José Hilson de Paiva, o médico ginecologista que foi recentemente denunciado por abusar sexualmente de suas pacientes durante as consultas, ele disse que filmava as vítimas e que isso aconteceu durante os últimos 30 anos.

O médico que também era prefeito de Uruburetama no Ceará mas que foi afastado, está preso há três dias. Ele confessou os abusos e filmagens para a polícia, mas disse que parou de realizar tais atos há dois anos e que antes não conseguia parar pois havia se tornado um vício.

Partes do depoimento foram divulgadas pela delegada, Joseanna Oliveira, que está a frente do caso.

Denúncia nacional

O caso acabou tomando proporções nacionais logo após uma matéria do Fantástico, onde foram mostrados dezenas de abusos do médico dentro do consultório, onde as imagens são de autoria do próprio José Hilson de Paiva.

Ele foi preso preventivamente na tarde de sexta-feira (19/07), logo após o Ministério Público do Ceará (MPCE) solicitar sua prisão através do juiz José Cléber Moura do Nascimento. Ele achou necessário a prisão de Hilson para que as provas possam ser preservadas e que a sua influência como prefeito não possa atrapalhar as investigações.

O que diz Hilson e sua defesa?

O médico deu uma declaração a imprensa sobre o caso, mas foi bem breve em seu discurso. Ele se defende dizendo que não sabe explicar o caso e que a grande maioria dos atos eram consentidos por suas pacientes. Ele ainda relata que se não fosse consentido, não estaria falando com a imprensa.

O advogado de Hilson, Leandro Vasques, já entrou com um pedido de prisão domiciliar na Justiça do Ceará. Segundo ele o médico já conta com 70 anos e sofre de doenças na próstata e cardíacas, sendo impossibilitado de ficar preso. Além disso o advogado cita que o prazo para que as vítimas apresentassem queixas sobre o caso já acabou, invalidando qualquer denúncia.

Vasques cita “- Nós não estamos defendendo essa prática criminosa, mas para que o caso siga em frente ele deve ter um intervalo de no máximo 6 meses para que a investigação fosse inaugurada…”

Para ele o tempo e toda a investigação já “expirou”.

Porém a Justiça do Ceará acabou negando o pedido da defesa e definiu que José Hilson de Paiva irá permanecer preso. Neste último dia 20 de julho, o médico passou por uma audiência de custódia em Itarema, um município do interior do Ceará.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top