Notícias

Presidente da OAB vai ao STF sobre caso com Bolsonaro

Felipe Santa Cruz deve pedir que o presidente se explique ao STF sobre caso da morte de seu pai.

felipe santa cruz presidente oab

No final desta segunda-feira (29/07) o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, informou que irá ao Supremo Tribunal Federal (STF), pedir que Jair Messias Bolsonaro se explique sobre o último comentário sobre seu pai que foi morto durante a ditadura.

Bolsonaro disse que se o presidente da OAB quiser ele conta sobre a morte de Fernando Santa Cruz em 1974. O fato ocorreu durante o período militar no Brasil.

O pronunciamento do presidente da República aconteceu em uma de suas redes sociais. Durante seu comentário ele disse que o opositor do regime militar Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira não foi morto por militares, mas pela organização de esquerda conhecida como Ação Popular do Rio de Janeiro, que segundo no entendimento de Bolsonaro é nada menos do que um grupo terrorista.

Porém a Comissão da Verdade relata que Fernando Santa Cruz acabou sendo morto por agentes da ditadura.

O que disse Felipe Santa Cruz sobre o caso?

Durante o discurso de Santa Cruz ele disse:

“Quero saber do presidente o que ele efetivamente sabe, se ele soube nos porões da ditadura, o que é muito grave, porque ele diz que soube à época quando era militar, então ele reconhece relação com os porões da ditadura. Vou ao Supremo Tribunal Federal pedir, interpelar o presidente para que ele esclareça isso”

Ele ainda cita:

“Nós temos todo respeito pela figura do presidente da República. Mas o presidente Jair Bolsonaro não agiu hoje como tal. Hoje ele agiu como amigo do porão da ditadura, agiu olhando o passado e dividindo a sociedade brasileira”

Ele ainda diz que o presidente da república é muito cruel e não sabe separar o que deve ser dito em público do privado.

“Não há qualquer dúvida. Meu pai era estudante de direito e morreu lutando pela democracia. O presidente mostra uma faceta muito preocupante do governante, que é a crueldade e a falta de empatia com o ser humano.”

Adélio Bispo

A fala de Bolsonaro veio em decorrência da OAB negar o acesso da Polícia Federal ao celular de um dos advogados do responsável pela facada durante as eleições, Adélio Bispo. Bolsonaro cita que não recorreu sobre o caso, para que Adélio continue preso e seja tratado como “louco até morrer”.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top