Notícias

Indulto à policiais presos por ações no Carandiru e Eldorado causa revoltas

Bolsonaro disse que vai conceder benefício de indulto a policiais envolvidos em massacres.

massacre carandiru

Neste sábado o presidente Jair Bolsonaro deu uma declaração de que irá conceder indultos à policiais que foram presos nos massacres de Eldorado dos Carajás e também do presídio do Carandiru.

E neste domingo (01/09) diversos advogados e associações que são responsáveis por representar os familiares dos presos nestas situações, reagiram com indignação e revolta sobre os comentários do presidente.

Constituição

Alguns advogados consideraram as declaração muito graves e totalmente na contramão dos direitos humanos, que está determinado na Constituição do Brasil de 1988. O texto foi definido 4 anos antes do massacre do Carandiru em São Paulo, onde 111 presos foram mortos.

Para eles a Constituição foi testada justamente neste massacre, pois prezava o direito dos presos como seres humanos, onde ao realizar as execuções ficou mais que provado o discurso de autoritarismo no Brasil.

Um dos advogados citou que o presidente está querendo comprar briga com a sociedade brasileira, afinal um presidente não pode falar isso.

Atiradores do massacre de Suzano se suicidaram quando viram a Polícia.

Associações

Algumas associações declararam que as falas de Bolsonaro é uma afirmação de que o governo pretende “exterminar a população da periferia e pobre”. Segundo elas, os indultos descritos pelo presidente, acabam privilegiando a polícia, contribuindo para uma “carta branca” com relação a violência policial.

A situação preocupa, pois pode ser considerado um aval para que a policia possa matar e não ser “responsabilizada” pelos crimes cometidos. Representantes ainda citam que os “alvos” da polícia contam com perfis em comum em todos os estados do Brasil.

Bolsonaro porém respondeu sobre essa “carta branca” para crimes de policiais. Ele disse que muitos estão lhe atacando por suas falas, mas que esta carta branca é na verdade um benefício para o policial não morrer, o mesmo policial que defende a vida do cidadão que está criticando.

Outros indultos

Mas parte da população apoiou as falas do presidente, principalmente com relação a outros indultos que ocorrem no Brasil.

Nos últimos dias outros indultos haviam revoltado a sociedade, como é o caso Nardoni, que mesmo após matar a filha, acaba recebendo o benefício do indulto de “Dia dos Pais” e também Suzane Richthofen, que tem liberdade no “Dia das Mães”.

Para Bolsonaro, liberar os policiais responsáveis pelos massacres é apenas um direito concedido pela própria Constituição. É preciso que eles se enquadrem antes na situação jurídica regente e só então tenham direito a cumprir pena privativa de liberdade.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top