Notícias

EUA e China voltam a conversar nesta 5ª sobre acordos comerciais

Negociações voltam após 3 meses de um mercado turbulento.

nova rodada negociacoes china estados unidos

Nesta quinta-feira (10/10) os principais negociadores da China e Estados Unidos devem se reunir para tentar fechar acordos comerciais que possam colocar um fim na Guerra comercial dos últimos anos.

Esta é a primeira reunião nos últimos 3 meses, onde a última ocorreu no mês de julho. Nela a equipe se reuniu para tentar conter os novos atritos que estavam surgindo, mas o caso não teve sucesso e a crise se alongou por mais um período, deixando a equipe econômica, principalmente da China, muito preocupada.

Reunião desta quinta

Nesta quinta estarão reunidos Robert Lighthizer, que é o representante de Comércio dos EUA, Liu He, o vice premiê chinês e também Stevem Mnuchin o atual secretário do Tesouro Americano.

A conversa deverá buscar uma solução para reduzir as diferenças entre os países e evitar o próximo aumento das tarifas que estão previstas para acontecer no próximo dia 15 de outubro. A equipe tenta fechar um acordo para que cerca de 250 bilhões de dólares em produtos da China não sejam taxados já com o aumento.

Processo de Impeachment de Trump não terá apoio da Casa Branca.

Momentos de tensão

Apesar da reunião trazer esperanças para o mercado, o clima já será tenso, pois nesta última segunda feira o Departamento do Comércio dos Estados Unidos, decidiu colocar 28 agências de segurança pública e outras empresas de vigilância e tecnologia da China, na lista de sanções criada pelos EUA.

A justificativa foi as violações dos direitos humanos relacionadas a muçulmanos na província de Xinjiang. Na terça mesmo, o Departamento de Estado dos EUA colocou restrições de vistos à autoridades da China que estejam ligados à Xinjiang.

Trump

Donald Trump comentou sobre a reunião desta 5ª e disse que se houver a possibilidade de fechar um acordo ele será fechado, inclusive há uma grande chance nesta reunião. Ele ainda diz que em sua opinião a China quer fechar um acordo muito mais do que os EUA.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top