Saúde

Laboratórios USP para pesquisas de epidemias é inaugurado

Parceria com Instituto Pasteur, fundação francesa, trás pesquisas no campo da Zika, dengue e outras doenças.

instituto pasteur e usp projeto laboratorios epidemias

A partir desta quinta-feira, dia 04 de julho de 2019, a Universidade de São Paulo (USP) inaugura o seu conjunto de laboratórios de alta tecnologia para pesquisas de epidemias, onde o objetivo é conhecer mais sobre doenças contagiosas, em especial sobre a dengue, zika, febre amarela e a gripe.

A localização dos laboratórios de pesquisas, ficam na Cidade Universitária, Zona Oeste de São Paulo. Eles estão dentro do Centro de Pesquisa e Inovação Inova USP e contou com parte do financiamento proveniente do governo francês.

A Plataforma Científica Pasteur USP (SPPU) contará com 17 laboratórios em uma área de 1700 m². O investimento para a conclusão das obras e compra de equipamentos está na casa dos 40 milhões de reais.

Parceria com a França

O projeto foi firmado com o governo francês em 2015, através da USP, Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Instituto de Pesquisa do Rio de Janeiro e também a fundação francesa com cerca de 23 mil pesquisadores associados e vencedora de 10 Prêmios Nobel, o Instituto Pasteur.

Os pesquisadores que estão a frente do projeto informaram que a nova unidade de pesquisa será fundamental para ajudar no desenvolvimento de conhecimentos sobre as principais epidemias do mundo, gerando diversas pesquisas internacionais.

A diretora de pesquisa do Instituto Pasteur em Paris, Paola Minoprio, volta ao Brasil após 30 anos para coordenar o projeto da USP ao lado de Luís Carlos Ferreira, o atual diretor do IBC da USP (Instituto de Ciências Biomédicas).

Ambos os institutos contam com linhas semelhantes de pesquisa, onde entre as principais estão nas áreas de Biologia Celular, Imunologia, Parasitologia e a Microbiologia. Com certeza irão surgir ótimos resultados através desta nova parceria.

Segundo Luís Carlos, a USP não conta com nenhuma parceria semelhante nos últimos 80 anos. Agora é a hora de trabalhar para internacionalizar pesquisas, inovações e condições de ensino.

Principais estudos da Plataforma Científica Pasteur USP (SPPU)

Inicialmente a unidade irá desenvolver métodos de prevenção contra epidemias por vírus que podem afetar o sistema nervoso central. Entre estas epidemias estão a gripe, o zika, dengue e a febre amarela. Outras pesquisas já confirmadas estão relacionadas ao protozoário tripanosomos, responsáveis pela Doença do Sono.

O projeto deverá contar com o apoio de até 100 pesquisadores, onde entre eles estão técnicos, estudantes e funcionários da instituição.

Foto divulgação: Marcos Santos/USP Imagens

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top