News

Israel começa a demolir casas nos arredores de Jerusalém apesar dos protestos palestinos

Forças israelenses começaram a demolir prédios perto de uma barreira militar nos arredores de Jerusalém na segunda-feira, apesar dos protestos palestinos e das críticas internacionais.

A decisão controversa de Israel sobre as casas dos palestinos

Escavadeiras acompanhadas por centenas de soldados e policiais israelenses mudaram-se para o sul de Baher, uma aldeia palestina nos arredores de Jerusalém Oriental, em uma área que Israel capturou e ocupou na guerra de 1967 no Oriente Médio.

Os palestinos temem que a demolição de casas e prédios próximos à cerca estabeleça um precedente para outras cidades ao longo da rota da barreira, que percorre centenas de quilômetros ao redor de toda a Cisjordânia, ocupada pelos israelenses.

A demolição é uma nova fase da longa disputa sobre o futuro de Jerusalém, lar de mais de 500.000 israelenses e 300.000 palestinos, e locais sagrados para o judaísmo, o islamismo e o cristianismo.

Forças israelenses cortaram uma seção de arame da barreira em South Baher sob a cobertura da escuridão na madrugada de segunda-feira, e começaram a expulsar os moradores da área.

Os holofotes iluminaram a área enquanto dezenas de veículos transportavam forças de segurança para a aldeia.

Depois do amanhecer, escavadeiras mecânicas começaram a destruir uma casa de dois andares, enquanto os soldados se mudaram para um prédio de vários andares parcialmente construído nas proximidades.

“Desde as 2h da manhã eles estão evacuando as pessoas de suas casas pela força e começaram a colocar explosivos nas casas que querem destruir”, disse Hamada Hamada, líder comunitário em South Baher.

O trabalho foi filmado e fotografado por ativistas palestinos, israelenses e internacionais que se mobilizaram para tentar impedir a demolição.

A Suprema Corte de Israel decidiu em junho que as estruturas violavam a proibição de construção. O prazo para os moradores removerem os edifícios afetados, ou parte deles, expirou na sexta-feira.

Fonte:Reuters Latin America

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top