Escândalo sexual envolvendo Harvey Weinstein vai se tornar um filme produzido por Brad Pitt

O produtor de cinema Harvey Weinstein recebeu severas acusações de abuso sexual de uma série de atrizes, o que se transformou em um dos maiores escândalos de Hollywood. No dia 26 de abril, mais uma notícia sobre essa história veio à tona, mas não foi por algum advogado ou nova denúncia: trata-se do ator Brad Pitt, que afirmou que fará a produção de um filme que relatará toda a investigação.

Sendo feito pela produtora Plan B Entertainment, que é da Annapurma Pictures e do próprio Pitt, a película vai falar sobre Megan Twohey e também Jodi Kantor, que são duas repórteres do famoso New York Times e foram vitais durante a apuração de todas as notícias. Cabe dizer que elas foram bastante corajosas: mesmo declarando que foram ameaçadas, continuaram com as reportagens necessárias.

Espera-se que essa nova empreitada de Brad Pitt tenha excelente retorno: além de ser um assunto que ficou no centro dos noticiários, o estilo de filme será semelhante a outros muito bem aceitos, como “Todos os homens do presidente” e ainda “Spotlight”.

O caso

No ano passado, muitas mulheres que trabalharam na The Weinstein Company e também na Miramax fizeram sérias denúncias contra Harvey, inclusive atrizes de Hollywood bastante famosas. O teor dessas denúncias vai desde assédios até casos de estupro consumado e a lista de mulheres que disseram ser vítimas é muito grande: afinal, ele teria agido por 30 anos, atraindo moças que estavam iniciando na carreira artística.

Gwyneth Paltrow, que participou do filme Emma, produzido por ele, disse que ficou “sem ação” quando foi assediada pelo fato de ser uma criança.  O produtor a chamou para ir até seu quarto e realizou várias investidas, todas negadas pela atriz. Além disso, ela contou ao seu namorado naquele período (que era exatamente Brad Pitt).

Um assédio bem pesado também aconteceu com a atriz Ashley Judd: o produtor a teria convidado para um café da manhã e ela acreditou que fosse para falar a respeito de algum filme. Porém, ela teve de ir ao quarto dele, onde ele estava de toalha. Além disso, ele sugeriu a ela que fizesse uma massagem, coisa que a atriz negou. Outra sugestão dele foi a de que ele tomasse banho enquanto ela o assistia, o que também foi recusado por Judd.

Não foram somente as atrizes americanas as assediadas por Weinstein: Asia Argento, que é uma conhecida atriz italiana, denuncia que foi estuprada pelo produtor. Ela conta que foi chamada para uma festa, mas que ela era somente um pretexto: além se pedir (de novo) uma massagem e ela, ele a estuprou em seguida.

Uma denúncia mais recente é a da atriz e modelo Cara Delevingne: ela conta que, enquanto estava no processo de testes para certo filme, acabou indo até o quarto do produtor e que, notando que a situação era suspeita, quis ir embora. No entanto, Weinstein teria ficado entre ela e a porta e tentado beijá-la.

O parecer de Harvey

O acusado disse publicamente que não realizou nenhum tipo de assédio e que não tentou intimidade nenhuma das suas denunciantes. Ele foi mandado embora da empresa que ele criou e existem vários processos: em todos eles, o produtor diz que é inocente.

É claro que denúncias dessa natureza são um abalo imenso para as empresas as quais ele era ligado. A Weinstein Company, por exemplo, tinha declarado que sua falência estava se aproximando. Porém, um grupo corporativo a comprou e o custo teria sido de $500.000.000,00, sendo acordado que as vítimas da empresa serão compensadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *