Esportes

Conheça como funciona o processo de formação de atletas da A.M.D.H

A.M.D.H
Foto: Divulgação/A.M.D.H

Em entrevista exclusiva para a reportagem do TV é Brasil, o coordenador Administrativo da A.M.D.H, Evandro Marçal, abriu o jogo e contou como funciona o processo de revelação de atletas do clube. Além de Fernando que surgiu no time, mas depois foi para a base do Palmeiras e logo depois vendido para o Shakhtar Donestk.

“Não, pois entendemos que contribuímos com parte muito particular da formação do atleta. O atleta que é captado pela A.M.D.H. se apresenta, na maioria das vezes, com passagem em outros clubes, então o que tentamos fazer é aproveitar o que atleta traz de positivo, fazendo algumas correções para ele consiga se enquadrar no nosso projeto e ajudar a equipe. Esse processo é feito seguindo algumas diretrizes e, assim, a gente o ajuda no processo de formação profissional. No Brasil, não há um plano padrão a ser seguido, que norteie a formação de atletas então nós da A.M.D.H. temos nosso próprio processo, bem como qualquer equipe grande, e fazemos nossa parte em prol do nosso futebol. Creio que estejamos fazendo um bom trabalho, já que tanta gente boa sai daqui para integrar grandes equipes do país e do exterior”, diz.

Questionado quais são os torneios que a A.M.D.H participa, Evandro Marçal explicou o seu ponto de vista e destacou a evolução do clube: “Acredito que “acelerar a formação” não seja o ideal. Às vezes um atleta demora um pouco mais a maturar e determinado clube não tem paciência de aguardar, não tem a sensibilidade de notar que ali pode ter um grande talento que vai despontar. Posso dizer que na A.M.D.H. temos pessoal capacitado para enxergar além do senso comum e isso tem feito a diferença para nós. Hoje, dentre as competições que disputamos, o Campeonato Mineiro pode ser considerado nosso alicerce devido ao tempo de duração. Você consegue permanecer com o atleta um período de sete meses no ano, tempo suficiente para que ele consiga ter acesso aos nossos planos de trabalho e para que nós tenhamos uma avaliação clara dos potenciais do jogador. As outras competições, como Taça BH e Copa Brasileirinho, são de tiro curto, então, se a gente levar em consideração a atuação do atleta neste curto período de disputa, mesmo sendo uma competição inteira, podemos acabar sendo “injustos” ou prematuros nesta avaliação, pois não há tempo hábil para que o atleta se adapte e consiga desempenhar seu melhor futebol, Por isso, é muito importante para nós o Campeonato Mineiro e sua longa duração no calendário”, completou.

Por fim, o coordenador administrativo do clube falou sobre os assédios dos clubes que demonstram interesse em atletas da A.M.D.H durante os jogos em que disputa: “A A.M.D.H. conseguiu mostrar um bom trabalho desde de seu surgimento. Hoje, a maioria dos clubes têm conhecimento da seriedade do trabalho, além de acompanhar através de seus captadores as competições que disputamos. A gente fica feliz com esse reconhecimento dos grandes clubes, de se preocuparem em acompanhar a nossa equipe, pois isso credencia o nosso trabalho e nos motiva a seguir mesmo com os desafios naturais de se manter o projeto a todo vapor. Fazemos esse esforço muito por acreditar que há garotos que podem mais e que merecem mais uma oportunidade de mostrar seu valor e, quem sabe, vir a ser um novo talento do futebol brasileiro”, completou.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top