Educação

Contratação de professores públicos sem concurso deve se tornar realidade

MEC cogita criar sistema de “CLT” para que professores possam ser contratados no ensino público sem concursos.

contratacao professores rede publica regime clt

O Governo do Brasil através do Ministério da Educação, deverá estimular a contratação de professores na rede pública através do regime da CLT e não mais através de concursos públicos. A informação está sendo divulgada pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Segundo Abraham o estímulo na contratação de professores universitários e técnicos com carteira assinada, irá conter os gastos na folha de pagamento, que a qualquer momento pode causar um colapso no sistema. Para ele a folha de pagamento já está funcionando como uma bomba relógio.

Concursos

Hoje os candidatos aos cargos de professores precisam passar por concurso, onde nas regras federais, isso lhes garante estabilidade no cargo, mesmo não desempenhando um bom rendimento.

A nova proposta deve valer para universidades que aderirem ao programa Future-se do Ministério da Educação (MEC). Esse programa tem o propósito de financiar as universidades públicas, através da captação de recursos juntamente com a iniciativa privada.

A princípio a adesão no programa Future-se é facultativa.

Novas contratações

A proposta do governo para contratações através da CLT irá determinar que os novos professores e técnicos sejam intermediados por Organizações Sociais (OSs). Porém a princípio, mesmo diante de uma contratação no regime CLT, os professores ainda contariam com estabilidade.

Porém a ideia do modelo é justamente definir a permanência de um servidor, desde que haja um desempenho correspondente, assim como é hoje em empregos fora da esfera pública.

Muito desperdício de recursos

Durante o discurso sobre a contratação de professores, Weintraub criticou os principais aspectos de uma universidade pública.

“Hoje elas são caras, possuem muito desperdício e se envolvem em assuntos que não tem nada a ver com produção científica e educação. Tudo politicagem, balbúrdia e ideologização”.

Esse dinheiro mal gasto acaba influenciando diretamente em recursos que foram recentemente cortados como o do Capes. O dinheiro para estas bolsas vem dos empresários e trabalhadores, que são os responsáveis por pagar imposto. Nos últimos anos o país quebrou e agora é preciso respeitar o limite orçamentário até que a economia se recupere.

Menos verbas para à educação.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top