Economia

Favelas bilionárias, moradores no Brasil movimentam bilhões anualmente

favelas bilionarias

Um estudo divulgado pelos institutos Data Favela e Locomotiva, concluíram que os moradores das comunidades brasileiras, chegam a movimentar R$ 119,8 bilhões por ano.

Os pesquisadores visitaram 465 favelas em 116 cidades do Brasil, entrevistando 2670 pessoas, que foram os alicerces para a conclusão dos dados desta grande remessa de moradores no país.

Ficou concluído que 13,6 milhões pessoas estão com renda domiciliar per capita (ou seja, por membro) em R$ 734,10.

O valor do potencial de consumo é superior aos rendimentos de 20 estados do Brasil, inclusive superior aos de países como o Uruguai e Paraguai.

O Rio de Janeiro é o estado com o maior número de moradores em favelas. Ele conta com cerca de 10% de toda sua população vivendo em comunidades, como é o caso da Rocinha, uma das maiores favelas do mundo, se não a maior.

Confira as regras para que militares sejam contratados pelo INSS e outros órgãos.

Mulheres no comando

O estudo divulgou também que 49% das casas são chefiadas por mulheres. Os motivos são bem variados, mas há um equilíbrio entre homens e mulheres que são responsáveis por trazer o sustento para dentro de casa.

A grande parte dos rendimentos nas favelas vem de origem do seu trabalho. São 71% que ganham seu dinheiro através do trabalho, seja ele formal ou informal.

25% tem carteira assinada e 10% são empregados, mas não estão legalizados.

Os outros recursos são provenientes do seguro desemprego, Bolsa Família e cerca de 15% dos moradores de favelas vivem de aposentadoria e pensão do INSS.

Mais de uma fonte de renda

A renda formal na maioria dos casos não é suficiente para manter as casas, o que leva os trabalhadores a realizarem bicos fora do horário de expediente. Muitas famílias usam deste recurso para ganhar um dinheiro a mais.

Os institutos verificaram também que há um grande empreendedorismo dentro da favela, gerando um círculo, onde os recursos giram ali mesmo.

Um grande mercado

Esta pesquisa concluiu que apesar do preconceito, as comunidades são enormes mercados consumidores, onde desde que respeitando as regras locais, é possível aproveitar o grande potencial destes locais em questões econômicas.

Este é um mercado subestimado pelas grandes empresas, mas que em um futuro bem próximo pode fazer parte do radar de novas oportunidades.

Celso Athayde, presidente da Favela Holding disse o seguinte:

“Os moradores das favelas movimentam a economia, geram renda e muitas oportunidades para as empresas. Esta pesquisa é o retrato do poder das favelas que se fossem um Estado seria o 5º maior em população no Brasil.”

Cerca de 69% da população está conectada a internet e este pode ser um potencial a ser explorado.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top