Economia

China insiste que tarifas sejam reduzidas para fechar acordo com os EUA

As vésperas de fechar um acordo comercial provisório, China tenta melhorar proposta.

china quer reducao tarifas dezembro guerra comercial

O Ministério do Comércio chinês disse nesta quinta-feira (05/12), que as tarifas dos Estados Unidos precisam ser reduzidas para que um acordo provisório de comércio seja fechado nos próximos dias.

Essa é a postura dos chineses sobre qualquer negociação entre as duas maiores economias do mundo. Os americanos precisam cooperar com as tarifas, para que a fase um do acordo comercial comece a caminhar em benefício de ambas as economias.

Gao Feng, que é o porta-voz do Ministério do Comércio disse que o lado chinês está confiante de que para o acordo prosperar é preciso haver uma redução de tarifas. Ele informou também que ambos os governos estão mantendo uma relação próxima de comunicação.

Otan recebe dura crítica da Rússia pouco antes da cúpula militar em Londres.

Fase um do acordo China x Estados Unidos

2019 está chegando ao fim e a economia mundial aguarda ansiosamente para que a fase um do acordo entre EUA e China aconteça ainda em dezembro. A nova rodada de tarifas dos EUA está prevista para acontecer no próximo dia 15 de dezembro, onde irá atingir cerca de 156 bilhões de dólares sobre importações provenientes da China.

Os chineses esperam que esta nova rodada nem aconteça, mas tudo vai depender de como o assunto será tratado nas próximas semanas.

O aumento das tensões bilaterais sobre questões que não estão relacionadas a área comercial, como é o caso dos protestos em Hong Kong, pode prejudicar qualquer acordo para colocar um fim na guerra comercial que se instaurou durante o governo Trump.

A legislação dos EUA vem pedindo uma resposta mais firme sobre o tratamento dado por Pequim aos responsáveis pelos protestos na região.

Acordo em dezembro

Como a nova rodada de tarifas dos EUA já tem data para acontecer, ambos os setores econômicos vem conversando e buscando a melhor solução para impedir que os dois lados venham sofrer duras consequências em 2020.

Os EUA apesar de se manter firme em seu propósito, sabe que depende de muita mão de obra e matéria prima chinesa para manter a sua economia a todo vapor.

Já a China não quer perder o seu poderoso mercado em terras americanas.

2020 pode ser diferente para o comércio internacional com as eleições americanas.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top